Primeiras impressões: Koe no Katachi (2013)

Koe no Katachi (The Shape of Voice —A forma da voz) é um mangá que estreou nesse ano na Shonen Magazine e é de autoria da Yoshitoki Ooima (artista de Mardock Scramble). Até o momento foram lançados 8 capítulos além do one-shot inicial da obra.O mangá se enquadra nos gêneros shonen, drama e romance.

01

knk03

A sinopse do mangá se trata da chegada de uma garota surda em uma sala de aula em uma certa escola primária, e o impacto que isso causa no cotidiano dos alunos da sala incluindo o nosso personagem principal, o Ishida Shouya. O mangá já começa do ponto que termina o one-shot, mas invés de dar prosseguimento à história, o primeiro capítulo trata da infância de Shouya, sua constante luta contra o tédio e o que o levou a tratar a garota surda, que se chama Nishimiya Shouko, da forma retratada no one-shot e nos capítulos iniciais da obra. O one-shot trata de forma mais resumida o que acontece nos quatro primeiros capítulos, onde a história fica mais detalhada.

Esse mangá traz um sensação pesada e meio indigesta pois ele trata de bullying com criança deficiente sem ser uma obra panfletária e didática. Não é um mangá leve e agradável de ler, nesse ponto lembra Aku no Hana. Toda a ambientação do mangá ocorre na escola onde eles estudam e na cidade (vizinhança) aonde eles vivem. Dentro dos primeiros oito capítulos, a autora está contando a história principalmente do ponto de vista do Shouya, mas ela consegue direcionar o foco para vários personagens. E digo que dentro desses poucos capítulos já aconteceram muitas coisas, o que é um ponto positivo do mangá, pois comparando o one-shot com o primeiro capítulo, houveram algumas críticas em fóruns da internet (em especial o MyAnimeList) pois se temia que o mangá fosse adotar um pacing lento. O mangá está começando agora, então a classificação a seguir está de acordo com o que achei do mangá e estará sujeito a mudanças de acordo com os capítulos futuros.

knk04

Arte: Boa

A arte de Koe no Katachi é uma arte rústica, mas é uma arte bem composta e agradável de ler. A quadrinização do mangá é bem feita, e assim o traço do mangá se torna bem-sucedida em transmitir os sentimentos e sensações pesadas pretendidas e também favorece a imersão na história.

Imagem

Enredo: Ótimo.

A narrativa do começo do mangá é mais lenta que a do one-shot, mas contrariando o temor de alguns leitores do mangá, a narrativa se torna mais detalhada na parte abordada pelo one-shot. A partir do quinto capítulo, a história já volta do ponto que termina o one-shot e faz uso de alguns simbolismos, mais do que nos capítulos anteriores, alterando o feeling do mangá que inicialmente aparenta ser apenas um romance bobo para algo mais complexo.

Personagens: Ótimos.

Os personagens no mangá tem sido desenvolvidos de forma bem equilibrada e crível, mesmo aqueles que desgostam bastante o leitor.Mesmo nos poucos capítulos que o mangá tem, é notada um amadurecimento do personagem principal mesmo com todas as suas mazelas emocionais. Em relação a outros personagens, até agora eu não vi nenhum personagem com histórico ou motivação forçada, até mesmo nas situações que elas te irritam mais (no bom sentido).

Imagem

Item Extra -> Feeling: Ótimo.

O mangá traz um enredo que é bem doloroso de ver, mas invés de usar isso como trampolim para um romance bobo, ele dá continuidade a esse feeling pois as ações ruins do Shouya na época do fundamental ainda se refletem no presente, tornando assim algo sustentável. E isso é muito bom, pois existem vários mangás e animes por aí (exemplo:Accel World e Kotoura-san) que adotam o tema de bullying no primeiros episódios para depois largar para lá e tomar um rumo completamente diferente.

Classificação Final: Ótima.

Koe no Katachi tem se revelado nos seus primeiros capítulos uma obra com um potencial muito alto e a autora mesmo no seu primeiro mangá está sabendo conduzir bem a história de forma a transmitir confiança para o leitor. A Shonem Magazine tem se saído muito bem também em mostrar obras de qualidade, principalmente mangás de esporte, tenho gostado mais dessa revista do que a Shonen Jump. Essa vai ser a primeira obra no Selected Mangás que vai ganhar comentários semanais se os scans resolverem lançar o mangá em um ritmo adequado. Essas foram as minhas primeiras impressões do mangá para quem ainda não leu, para quem está acompanhando os capítulos atuais, aguardem os comentários semanais.

Fontes das imagens da review e links para baixar o mangá:

Em português: Abnormal Scanlator.

Em inglês: Norway Scan (capítulos 1 a 5)

Futari wa Pretty Anon (a partir do capítulo 6)

Village Idiot (one-shot).

Link Adicional: Reportagem da revista Nova Escola de bullying contra crianças deficientes.

Observação Temporária: Essa review está também no Medium,para acessá-la logue no Twitter e clique aqui. O Medium é uma ótima plataforma de publicação de texto, está em fase beta, para usar o site e escrever basta logar no site com uma conta no Twitter e comentar o texto enquanto ele ainda é um rascunho (Só acessar a review no link acima, publicarei lá uma semana depois de publicar aqui no WordPress).

Anúncios

2 opiniões sobre “Primeiras impressões: Koe no Katachi (2013)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s